GOVERNO DA BAHIA

Primeiro leilão do Estado em 2013 inicia visitação na segunda-feira (22)

16/04/2013 - Ascom - Saeb

Tem início na segunda-feira (22) e segue até a próxima quinta-feira (25) o período de visitação aos lotes do primeiro leilão de bens móveis do Estado em 2013. Os automóveis, sucata de veículos, móveis e maquinário listados para negociação estão disponíveis para avaliação das cidades de Salvador, Feira de Santana, Itabuna e Itaberaba.

 
Realizado pela Secretaria da Administração (Saeb), o leilão acontecerá no dia 26 de abril, a partir das 9h30, no Almoxarifado Central do Estado, situado na Rua Carlos Brandão da Silva, bairro da Mata Escura, em Salvador .
 
Serão leiloados ao todo 258 lotes, com avaliação inicial em mais de R$ 680 mil, sendo a maioria de veículos: 174. O lote mais barato está em Feira de Santana e é composto por carteiras escolares, com lance inicial de R$ 130. O lote mais caro é de uma caminhonete Chevrolet, modelo D70, ano 1988, avaliada em R$ 11.330, localizada em Itabuna. A relação completa dos lotes está disponível no site www.comprasnet.ba.gov.br.
 
A visitação acontece sempre de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Em Salvador, os lotes estão no Almoxarifado Central e no Departamento de Logística da Polícia Militar, situado na 5ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia, número 590. Já no interior do estado, os possíveis compradores poderão visitar os lotes no 15º Batalhão da Polícia Militar de Itabuna, no 11º Batalhão da Polícia Militar de Itaberaba e no galpão do Estado em Feira de Santana, localizado no quilômetro 5 da BR 116.
 
Os leilões do Estado integram as ações do Programa de Qualidade do Gasto Público - Compromisso Bahia que tem como objetivo combater o desperdício na máquina pública, investindo os valores economizados no reaparelhamento da estrutura administrativa. A receita obtida com a venda dos bens irá para a conta única do Tesouro Estadual.
 
Cabe à Saeb alienar os bens desativados do Estado, conforme artigo 7º do Decreto nº 9.461 de 20 de junho de 2005 - embora unidades da administração indireta que também possam realizar leilões. Os bens são considerados inservíveis quando o custo de manutenção é mais caro para o Estado do que investir na compra de um novo bem.
parceiro-77.png
parceiro-135.png
parceiro-78.png
parceiro-79.png
parceiro-82.png
parceiro-84.png
parceiro-81.png
parceiro-83.png
parceiro-80.png